quinta-feira, dezembro 18

CRISE? QUAL DELAS?

E tudo parecia ir muito bem! A economia do mundo inteiro crescia, os países emergentes cresciam mais ainda. As pessoas compravam, consumiam, mais, mais e mais. O "Sol brilhava" e as pessoas de todas as classes sociais sorriam.

Mas em meio a toda essa "prosperidade" o ambiente continuava a ser degradado, a fome ainda prevalecia, o desemprego não deixou de existir, as guerras não cessavam, a violência também não. A inconsciência continuou a imperar e as pessoas viviam uma falsa felicidade, baseada no consumo, distante de valores humanos consistentes, coerentes com algo que possamos chamar de civilização.

E, de repente, sem mais nem menos (aparentemente) veio a crise financeira. E o "Sol deixou de brilhar". Na mágica da economia globalizada, de um dia para o outro, o consumo caiu no mundo inteiro, os preços caíram, a bolsa caiu, a máscara da sociedade moderna caiu!

A crise que começamos a viver mostra algumas facetas da dita sociedade global: fragilidade, incoerência, egocentrismo e hipocrisia. E as portas do 1º de janeiro de 2009, barreira simbólica de um novo tempo, um ano novo, devemos mais uma vez parar para pensar. Refletir, se preferirem.

Refletir não no que seremos, mas no que somos. Pensar não no que faremos, mas no que fizemos. Concluir que a nossa vida como pessoas e como sociedade não é o que deveria ser. Ou é?

Fundamentados nos diversos princípios, religiosos, filosóficos ou políticos devemos mais uma vez tentar alcançar a coerência de nossas palavras, dos nossos pensamentos e, principalmente, de nossas atitudes.

Espero que as lições de momentos como esses que estamos vivendo, e ainda viveremos sirvam para que a humanidade cresça e aprenda que nada nesse mundo é fácil. Nessa vida, tudo é conquistado, nada é ganho, mesmo que pareça ser.

Aproveite a crise, reconquiste a dignidade perdida, ganhe a confiança das pessoas, dê um sentido a sua existência, troque as experiências de vida, festeje estar vivo e ainda poder realizar muito do que deseja. E acima de tudo, seja feliz, dentro ou fora das crises. Um novo ano de esperança, como muitos desejam que seja, e eu também. Transborde sua fé, se você tem uma. E se não tem, está na hora de ter.

E neste tempo de relembrar e comemorar momentos de outrora, quando o mundo parecia pior, mas era apenas mais inexperiente do que é hoje, eu posso desejar a todos Boas Festas e um maravilhoso 2009.

Nenhum comentário: